PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
2 meses

Governador do RJ diz que comprará primeira vacina autorizada pela Anvisa

Governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, diz que irá comprar a primeira vacina certificada pela Anvisa  - Daniel Resende/Futura Press/Estadão Conteúdo
Governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, diz que irá comprar a primeira vacina certificada pela Anvisa Imagem: Daniel Resende/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

08/12/2020 16h43

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC) afirmou que o estado comprará entre 1 e 2 milhões de doses da primeira vacina que for aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

"Estamos conversando com diversos laboratórios e compraremos do primeiro a ser certificado pela Anvisa", afirmou Castro à Revista Época.

De acordo com Castro, a Secretaria de Saúde do estado mantém contato com diversos fornecedores, dentre eles, a Pfizer. A pretensão inicial é vacinar primeiro os idosos e os estudantes, para diminuir o impacto no calendário escolar.

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello se reuniu hoje com governadores de todo o país para fazer um balanço sobre o enfrentamento à covid-19 no Brasil e tratar sobre a compra de vacinas. Pazuello afirmou que o plano pode começar no final de fevereiro, com a aplicação da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca.

O PNI (Plano Nacional de Imunização) é nacional. Não pode ser paralelo. A gente tem que falar a mesma linguagem. Nós só temos um inimigo: o vírus. Temos que nos unir
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde

Preocupação de outros governadores com o início da vacinação

A data de início da vacinação tem preocupado os governadores, que temem que estados como São Paulo e Rio de Janeiro, que sediam o Instituto Butantan e a Fiocruz, respectivamente, iniciem a imunização antes do restante do país. O plano paulista, por exemplo, prevê o início da vacinação para 25 de janeiro.

Pazuello indicou que será possível começar a colocar o plano em prática em fevereiro, por causa do prazo da Anvisa.

A Anvisa vai precisar de um tempo cumprindo essa missão. O registro gira em torno de 60 dias. Se tudo estiver redondo, teremos o registro efetivo da AstraZeneca no final de fevereiro, dando início à vacinação
Pazuello

Coronavírus