PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
11 meses

Brasil supera 191 mil mortos na pandemia e tem 13 estados com curva estável

O total de óbitos por consequência do novo coronavírus no Brasil agora é de 191.146 - Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo
O total de óbitos por consequência do novo coronavírus no Brasil agora é de 191.146 Imagem: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

27/12/2020 18h11Atualizada em 27/12/2020 20h57

O Brasil ultrapassou hoje o marco de 191 mil mortos pelo novo coronavírus com a confirmação de 331 mortes neste domingo (27), segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. O total não inclui os dados Minas Gerais, que não divulgou as informações até as 20h de hoje, horário limite do balanço diário. Com isso, 191.139 pessoas já morreram em decorrência da doença

Na contagem, bastante inferior à dos últimos dias, não constam os dados de três estados que não apresentarem óbitos: AP, CE e RR. A maioria dos estados está com curva considerada estável. São 13 nesta condição. Outros oito apresentam aceleração, enquanto cinco e o DF têm condição de queda.

Além disso, a redução de equipes durante feriados tende a represar dados que são inseridos à contagem pelos estados nos dias subsequentes.

Assim, a média móvel de mortes para os últimos sete dias está em 625, o que representa a quarta queda seguida nesta estatística. É a menor media de mortos desde 8 de setembro, com 617 à época.

Já o governo federal divulgou hoje a inclusão de 344 novas mortes em decorrência da covid-19 no país. causada pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

Também foram registrados 18.479 novos diagnósticos, o que eleva para 7.484.285 o total de infecções no país. O governo também contabiliza 6.515.370 pessoas recuperadas, e 777.776 seguem em acompanhamento.

Veja a situação por estado e no Distrito Federal:

Região Sudeste

  • Espírito Santo: estável (2%)

  • Minas Gerais: aceleração (35%)* estado não apresentou justificativa para a falta de dados neste domingo (27)

  • Rio de Janeiro: queda (-24%)

  • São Paulo: queda (-17%)

Região Norte

  • Acre: aceleração (18%)

  • Amazonas: aceleração (123%)

  • Amapá: estável (8%)

  • Pará: aceleração (46%)

  • Rondônia: aceleração (20%)

  • Roraima: queda (-94%)

  • Tocantins: queda (-53%)

Região Nordeste

  • Alagoas: aceleração (122%)

  • Bahia: estável (7%)

  • Ceará: queda (-45%)

  • Maranhão: estável (12%)

  • Paraíba: estável (-6%)

  • Pernambuco: estável (5%)

  • Piauí: estável (5%)

  • Rio Grande do Norte: estável (-8%)

  • Sergipe: aceleração (42%)

Região Centro-Oeste

  • Distrito Federal: queda (-34%)

  • Goiás: estável (-3%)

  • Mato Grosso: aceleração (83%)

  • Mato Grosso do Sul: aceleração (43%)

Região Sul

  • Paraná: estável (12%)

  • Rio Grande do Sul: estável (-9%)

  • Santa Catarina: estável (-12%)

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Coronavírus