PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Idosos de São Paulo não devem buscar vacinação agora, alerta secretário

Edson Aparecido (PSDB) não quer criar expectativa de que vacinação para idosos começará em breve - Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo
Edson Aparecido (PSDB) não quer criar expectativa de que vacinação para idosos começará em breve Imagem: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

19/01/2021 08h39Atualizada em 19/01/2021 12h06

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, fez um alerta na manhã de hoje para que idosos que não moram em instituições de longa permanência ainda não procurem os postos de vacinação para se imunizarem contra a covid-19. A cidade tem 200 mil doses da CoronaVac, que serão destinadas prioritariamente para profissionais de saúde e indígenas. Os primeiros idosos vacinados serão só aqueles que estão em moradias de longa permanência, como asilos.

"Vamos distribuir (vacinas) para as redes públicas, municipal e estadual, e privada. Esses profissionais de saúde deverão ser vacinados no seu local de trabalho. E vamos priorizar neste primeiro momento os médicos e enfermeiros que estão na linha de frente. E também aqueles que trabalham no resgate do Samu. Nesse primeiro momento, com essa quantidade, vamos priorizar esse universo de profissionais de saúde, idosos em instituições e os quase 1.800 indígenas que temos no município", disse Edson Aparecido em entrevista à TV Globo.

Questionado, então, se os idosos fora de instituições não devem procurar os postos de vacinação por enquanto, o secretário respondeu: "ainda nesta etapa, não".

De acordo com Aparecido, a cidade já tem a logística preparada para iniciar a vacinação nos idosos em geral futuramente, quando receber mais doses. O Instituto Butantan solicitou autorização emergencial para uso de mais 4,8 milhões de doses.

"Quando nós recebermos novas etapas da vacina e a orientação do Ministério da Saúde e da Secretaria estadual, vamos passar a convocar os idosos acima de 75 anos e aí paulatinamente. Temos referência desses idosos no município e vamos fazer campanhas de comunicação, no momento adequado, para informar essas pessoas", prometeu Edson.

O secretário também disse que, por enquanto, a cidade prefere não fazer pré-cadastros de idosos, para não gerar expectativa. "Achamos melhor fazer isso para não criar eventualmente expectativa de quem fez cadastro prévio de ter vacinação imediata, porque não vai ser isso".

Segundo o secretário, unidades municipais tem 14.173 idosos acamados em instituições de longa permanência. Profissionais de saúde vão até os locais onde eles estão para fazer a vacinação, assim como irão para aldeias indígenas.

Saúde