PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
9 meses

Novo lote de insumos para produção da CoronaVac chega a São Paulo

O secretário estadual de Saúde de SP, Jean Gorinchteyn (esq.); o governador de SP, João Doria (centro); e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas (dir) durante a chegada de insumos para a CoronaVac em Guarulhos (SP)  - WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O secretário estadual de Saúde de SP, Jean Gorinchteyn (esq.); o governador de SP, João Doria (centro); e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas (dir) durante a chegada de insumos para a CoronaVac em Guarulhos (SP) Imagem: WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

10/02/2021 07h44Atualizada em 10/02/2021 12h19

Um novo lote de insumos para a produção da vacina CoronaVac chegou na manhã de hoje a São Paulo. O avião proveniente da China pousou no Aeroporto Internacional de Guarulhos por volta das 7h30 (de Brasília).

O lote tem 5,6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), produzido na China pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Instituto Butantan no desenvolvimento da vacina contra a covid-19. A matéria-prima permitirá a produção em São Paulo de mais de 8,7 milhões de doses do imunizante, que serão destinadas ao Plano Nacional de Imunizações (PNI).

Há uma semana, 5,4 mil litros de IFA foram recebidos em São Paulo da mesma fornecedora, suficientes para a produção de 8,6 milhões de doses da vacina Coronavac. Somadas, as cargas permitirão a fabricação de 17,3 milhões de doses de imunizantes, que começarão a ser entregues ao Ministério da Saúde a partir do final deste mês. A previsão do instituto é que a produção de vacinas contra a covid-19 alcance até 600 mil doses diárias com as duas remessas de matéria-prima.

Em janeiro, segundo o governo de São Paulo, o Butantan entregou 8,7 milhões de vacinas CoronaVac ao Ministério da Saúde. Foram 6 milhões de doses no dia 17, 900 mil no dia 22 e 1,8 milhão no dia 29.

De acordo com o diretor do Butantan, Dimas Covas, a expectativa é que a produção de vacinas tenha continuidade pelo menos até setembro, quando o instituto prevê completar a entrega das 100 milhões de doses previstas no acordo com a Sinovac.

"Não paramos mais até completar as 46 milhões de doses, o que deve acontecer até em abril, e mais para frente vamos receber os lotes já para completar as (outras) 54 milhões. Ou seja, esperamos que até fim de agosto, começo de setembro, 100 milhões de vacinas já tenham sido entregues ao Brasil. Isso vai permitir a vacinação de 50 milhões de pessoas", disse

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também foi ao aeroporto receber a carga. Antes, ele postou uma mensagem do comandante do voo que transportou o material.

Saúde