PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

MP-GO apura 2º caso de profissional que teria simulado vacinação em idoso

SIPHIWE SIBEKO
Imagem: SIPHIWE SIBEKO

Do UOL, em São Paulo

19/02/2021 12h32Atualizada em 19/02/2021 15h00

O MP-GO (Ministério Público de Goiás) abriu investigação para apurar uma nova suspeita de simulação de aplicação de vacina contra o coronavírus em um idoso no posto de vacinação instalado na PUC (Pontifícia Universidade Católica), em Goiânia.

O caso aconteceu na manhã de ontem e foi registrado pelo filho do idoso, que questionou a profissional no ato. Ela, então, reconheceu o erro e aplicou a vacina.

Segundo o MP, foram ouvidos na tarde de ontem o filho do idoso e duas enfermeiras que testemunharam o fato. A profissional suspeita de cometer a infração deve ser ouvida hoje pela promotora Marlene Nunes Freitas Bueno, da 87ª Promotoria de Justiça de Goiânia.

Além disso, a promotora também pediu a manifestação da Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Sanitária Municipal sobre o caso e exigiu providências para melhorar o fluxo e os procedimentos de vacinação.

Uma das recomendações é que seja colocado um profissional para assistir aquele que estiver aplicando a vacina, já que a situação de estresse provocada pelas exigências de produtividade e celeridade pode levar à ocorrência de erros.

De acordo com a promotora, os profissionais designados para realizar a vacinação devem ter experiência para reduzir a quantidade de ocorrências indesejadas.

"Todos os esforços devem ser envidados para que tais circunstâncias não ocorram", disse Bueno.

Outro caso

Na semana passada, uma enfermeira foi acusada de injetar a agulha no braço de uma idosa de 88 anos, mas não aplicar a vacina. A cena também ocorreu no posto de vacinação da PUC Goiás e foi filmado pela filha da idosa.

Depois que a profissional foi confrontada pela filha, disse que "tinha esquecido" de injetar vacina e espetou a agulha pela segunda vez, aplicando o imunizante.

A enfermeira foi identificada, afastada das funções e não atuará mais da campanha de vacinação no município. Também foi aberto processo administrativo para apurar o fato.

Secretaria diz que casos são pontuais

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia informou, em nota publicada em seu site, que os dois casos de profissionais que teriam fingido a vacinação em idosos "são pontuais e nenhum deles envolve servidoras lotadas na pasta".

Além disso, afirmou que intensificou a fiscalização nos postos de vacinação, posicionando profissionais da própria pasta para supervisionar as equipes de trabalho.

A secretaria disse que, como consta no protocolo de vacinação adotado no município, enfermeiros e técnicos de enfermagem devem trabalhar em dupla. O objetivo é que enquanto um mostra a seringa antes e depois da aplicação para o paciente e seu acompanhante o outro acompanha os procedimentos, assegurando que o passo a passo ocorra dentro dos padrões.

"Prezando pela transparência, a Secretaria de Saúde estimula que o gesto vacinal seja filmado, no intuito de oferecer maior tranquilidade à população", disse, em nota.

Coronavírus