PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

SP tem recorde de óbitos em 24 h; Doria diz: 'é a pior semana da pandemia'

Doria classificou esta como a "pior semana de todas as semanas da covid-19" - Divulgação
Doria classificou esta como a 'pior semana de todas as semanas da covid-19' Imagem: Divulgação

Rafael Bragança e Sara Baptista

Do UOL, em São Paulo

02/03/2021 18h51

O estado de São Paulo registrou hoje 468 mortes por covid-19, número mais alto desde o começo da pandemia. Com isso, o estado chegou a 60.014 óbitos pela doença, além de já somar mais de 2 milhões de casos confirmados (2.054.867).

Mais cedo, o governador de São Paulo, João Doria, havia dito que esta é a "pior semana da pandemia". O recorde anterior de mortes em 24 horas no estado era de 455, registrado em 13 de agosto de 2020.

"Entramos na pior semana da covid-19 da história da pandemia desde 26 de fevereiro. Isso não apenas em São Paulo, os demais estados também. Eu tenho falado com governadores de outros estados, há uma preocupação generalizada dos secretários de Saúde", afirmou o governador, em evento de lançamento de novos pontos de vacinação drive-thru na capital paulista.

Doria não descartou a adoção de medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia. "Não se descarta nenhuma medida desde que elas sejam embasadas pela ciência e pela saúde", disse.

O governador reforçou que as decisões do governo do estado seguem as orientações dos especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus do estado de São Paulo. Ele também disse que, se novas restrições forem de fato adotadas, serão anunciadas na coletiva de imprensa de amanhã.

SP seria 3º país do mundo em mortes

Com a nova marca negativa atingida de mortes pela covid-19 em 24 horas, São Paulo ocuparia o terceiro posto entre os países que mais tiverem mortes em um dia, atrás apenas dos Estados Unidos e do próprio Brasil. Segundo os dados mais recentes da Universidade Johns Hopkins, referência mundial nos números da pandemia, o estado paulista ficaria pouco à frente da Espanha, que teve 467 mortes, mas somadas nos últimos três dias.

Os dados mais recentes dos Estados Unidos, que ainda não fecharam o balanço de mortes diárias de hoje, apontam 1.565 mortes. Já o Brasil teve 818 mortes registradas nas últimas 24 horas segundo o boletim de ontem do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base em dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Para o dado consolidado de hoje, a prévia aponta que o Brasil deve superar novamente o recorde de mortes diárias, estabelecido ainda na semana passada, com 1.582 óbitos registrados na quinta-feira (25).

Na última atualização da Universidade Johns Hopkins, apenas França e Alemanha chegam mais próximas dos números que São Paulo registrou hoje, com 375 e 362 óbitos, respectivamente.

Saúde