PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
6 meses

Covid: Brasil vacinou 14,8 milhões com a primeira dose, 7,03% da população

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/03/2021 20h08Atualizada em 26/03/2021 21h33

O Brasil chegou a 14,8 milhões de vacinados contra a covid-19 nesta sexta-feira (26). No total, 14.883.220 pessoas receberam ao menos uma dose da vacina, o correspondente a 7,03% da população brasileira.

O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Entre ontem e hoje, 808.643 brasileiros receberam a primeira dose de imunizante. A segunda dose foi aplicada em 124.955 outras pessoas nas últimas 24 horas.

Até o momento, 4.640.586 pessoas já receberam as duas doses de vacina no país, conforme a recomendação dos laboratórios que produzem a CoronaVac e a Oxford/AstraZeneca. O número equivale a apenas 2,19% da população nacional.

Proporcionalmente, o Amazonas permanece na primeira posição entre os estados que mais aplicaram a primeira dose de vacina: 411.448 habitantes, o que corresponde a 9,78% da população local. O Pará continua em último, com somente 4,12%.

Mato Grosso do Sul aparece à frente, em termos percentuais, entre os estados que mais vacinaram sua população com a segunda dose: 3,15% de seus habitantes.

Pontes anuncia vacina do governo federal, 7 horas após SP divulgar ButanVac

O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcos Pontes, anunciou hoje, por volta das 15h, que a produção de três vacinas nacionais avançaram para a fase de "pré-teste", como candidatas a imunizantes para o combate da covid-19. Ontem, o pedido de uma delas, desenvolvida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, foi protocolado junto à Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária), segundo informou o ministro.

"O ministério investiu em 15 protocolos, tecnologias diferentes de vacina aqui no Brasil. Nós temos cientistas de altíssimo gabarito aqui no país. A boa notícia é que três dessas vacinas avançaram para pré-teste, vamos chamar assim. Agora estão entrando para fase de testes com voluntários", declarou Pontes a jornalistas, em Brasília.

Hoje pela manhã, por volta das 8h, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou a ButanVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, também como candidata a imunizante contra a covid-19. A diferença entre os anúncios do governo paulista e do governo federal foi de cerca de sete horas, portanto.

"Do meu ponto de vista deve ter sido uma coincidência que ele [Doria] apresentou em São Paulo, o que é bom para o país. A gente precisa ter várias vacinas nacionais. É importante", disse Pontes.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!

Coronavírus