PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
2 meses

Com covid-19, deputado mineiro defensor da cloroquina aguarda vaga em UTI

Deputado estadual Coronel Sandro (PSL-MG) - Reprodução/ALMG
Deputado estadual Coronel Sandro (PSL-MG) Imagem: Reprodução/ALMG

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

27/03/2021 13h23

O deputado estadual Coronel Sandro (PSL) foi hospitalizado para tratar de sintomas relacionados à infecção por covid-19. O parlamentar teve um mal-estar, procurou uma unidade de saúde e teve o diagnóstico confirmado na noite desta sexta-feira (26), segundo informou a assessoria do político.

Ele está na emergência do hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, e aguarda uma vaga no CTI (Centro de Terapia Intensiva), de acordo com o jornal "O Tempo" e outros órgãos locais de imprensa.

A capital mineira praticamente não tem mais vagas de UTI disponíveis em sua rede de saúde. Informações do Conselho Municipal de Saúde, que divulga diariamente um boletim epidemiológico, dão conta de que a ocupação de leitos no SUS está em 107,5%, em nível de alerta vermelha.

Já o atendimento na rede SUS e unidades complementares opera com 88,5%, também em alerta vermelho. O número médio de transmissão (RT) por infectado está em 1,16, no nível amarelo.

O conselho também informou que, até a última quinta-feira (25), 190 pessoas aguardavam na fila por vagas em Unidade de Terapia Intensiva.

Belo Horizonte tem hoje 138.127 casos confirmados de Covid-19 e 3.145 mortes. Em 97,1% dos óbitos foram constatados a presença de pelo menos um fator de risco e/ou comorbidade.

Defensor da cloroquina

Em Minas, Coronel Sandro foi um dos entusiastas do chamado "tratamento precoce", termo que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usa para defender o uso de medicamentos sem eficácia científica comprovada no tratamento da covid-19.

O parlamentar também alinhou seu discurso ao do presidente Bolsonaro em relação às críticas ao isolamento social. Em manifestações públicas, o mineiro disse ser favorável ao "isolamento vertical".

"Eu acho que nós temos que voltar ao trabalho, com responsabilidade. Eu não me prendo ao politicamente correto e ao senso comum. Pobreza, miséria e desemprego irão matar muito mais do que a covid-19", disse ele, em vídeo publicado pela Assembleia de Minas Gerais.

Coronavírus