PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Veja a situação da covid-19 nos estados nesta terça (13)

Funcionário paramentado espera a chegada de pacientes com covid-19 em Manaus, em janeiro deste ano - SANDRO PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Funcionário paramentado espera a chegada de pacientes com covid-19 em Manaus, em janeiro deste ano Imagem: SANDRO PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

13/04/2021 20h31Atualizada em 13/04/2021 21h59

O Brasil teve hoje 3.687 novas mortes pela covid-19 —número mais alto desde a última terça-feira (6), quando foi registrado o recorde de 4.211 novos óbitos pela doença.

Nos últimos sete dias, morreram, em média, 3.051 pessoas em decorrência da covid-19 no país. Com uma ligeira queda, o índice ficou pouco abaixo do que foi registrado ontem, quando o Brasil bateu o recorde de 3.125 na média móvel de mortes em uma semana. Mesmo assim, este é o 83º dia consecutivo em que o índice fica acima de mil.

Todas as cinco regiões do país apresentam números em estabilidade: Centro-Oeste (-8%), Nordeste (0%), Norte (2%), Sul (-8%) e Sudeste (11%). No geral, o Brasil apresenta um índice considerado estável, de 3%, na variação de 14 dias.

Veja a situação por estado e no Distrito Federal:

Região Sudeste

  • Espírito Santo: estabilidade (11%)

  • Minas Gerais: aceleração (28%)

  • Rio de Janeiro: aceleração (29%)

  • São Paulo: estabilidade (1%)

Região Norte

  • Acre: aceleração (17%)

  • Amazonas: estabilidade (2%)

  • Amapá: aceleração (24%)

  • Pará: estabilidade (14%)

  • Rondônia: queda (-21%)

  • Roraima: aceleração (16%)

  • Tocantins: estabilidade (-9%)

Região Nordeste

  • Alagoas: estabilidade (4%)

  • Bahia: estabilidade (-5%)

  • Ceará: estabilidade (-4%)

  • Maranhão: aceleração (20%)

  • Paraíba: queda (-30%)

  • Pernambuco: aceleração (16%)

  • Piauí: aceleração (31%)

  • Rio Grande do Norte: estabilidade (-8%)

  • Sergipe: aceleração (17%)

Região Centro-Oeste

  • Distrito Federal: estabilidade (-4%)

  • Goiás: estabilidade (-12%)

  • Mato Grosso: estabilidade (-7%)

  • Mato Grosso do Sul: estabilidade (2%)

Região Sul

  • Paraná: aceleração (46%)

  • Rio Grande do Sul: queda (-31%)

  • Santa Catarina: queda (-29%)

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do informado anteriormente, este é o 83º dia consecutivo em que o a média móvel de mortes do Brasil fica acima de mil, e não o 82º. O texto foi corrigido.

Saúde