PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Jornal: Guedes diz que chinês inventou vírus, mas tem vacina menos efetiva

Segundo jornal Valor Econômico, Paulo Guedes não sabia que reunião estava sendo transmitida ao fazer comentários - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Segundo jornal Valor Econômico, Paulo Guedes não sabia que reunião estava sendo transmitida ao fazer comentários Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

27/04/2021 14h38Atualizada em 28/04/2021 06h47

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em uma reunião do Conselho de Saúde Complementar que o "chinês inventou o vírus", informa hoje o jornal Valor Econômico.

Ainda de acordo com a publicação, Guedes complementou a sua colocação dizendo que a vacina da China é menos efetiva do que a dos americanos.

Ele usou o exemplo ao defender, segundo o jornal, o aumento da participação da iniciativa privada em setores econômicos, como na saúde.

Ainda segundo o Valor Econômico, Guedes não tinha conhecimento de que a reunião estava sendo gravada e transmitida por redes sociais. O jornal ainda diz que o ministro disse "não mandem para o ar" ao ser informado da gravação e pediu para fazer esclarecimentos sobre declarações sobre a saúde e educação pública.

Nas declarações, Guedes não citou especificamente a qual vacina chinesa se referia. No Brasil, é aplicada a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Há um mês, o ministro foi vacinado com a primeira dose justamente com essa vacina.

A comparação de eficácia de vacinas feita por Guedes é reprovada por especialistas, uma vez que os testes clínicos são realizados em condições diversas e o importante, na avaliação deles, é que um imunizante se mostre capaz de ajudar no controle da doença.

A CoronaVac teve o uso emergencial aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) após apresentar taxa de eficácia global superior a 50%, o mínimo exigido. Houve variação nas taxas de eficácia em testes realizados em diferentes países do mundo (Brasil, Turquia e Chile), o que reforça a visão dos especialistas.

As vacinas americanas Moderna e Pfizer apresentaram taxas superiores a 90% de eficácia em testes clínicos, mas ainda não estão sendo aplicadas no Brasil.

Em relação à origem do coronavírus, apesar dos primeiros casos da doença terem sido registrados na China, não há nenhum indício de que o vírus "foi inventado" no país, como disse Guedes. A principal suspeita é de que o primeiro contágio humano se deu após contato com animais silvestres.

Guedes justifica fala

Em coletiva de imprensa na noite de hoje, para explicar as cinco trocas no ministério, o ministro justificou a fala sobre vacinas e disse que usou "imagem infeliz" ao falar que o "chinês inventou o vírus". Segundo Guedes, a intenção era ressaltar a necessidade do setor privado no auxílio ao combate à pandemia de covid-19.

Guedes se disse grato à China "por terem nos enviado a vacina" e lembrou que foi vacinado justamente com a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Saúde