PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Governo libera R$ 6,6 bilhões para a compra de doses da vacina da Pfizer

Governo federal já comprou 100 milhões de doses da vacina da Pfizer; 500 mil já foram encaminhadas aos estados - Juranir Badaró/Estadão Conteúdo
Governo federal já comprou 100 milhões de doses da vacina da Pfizer; 500 mil já foram encaminhadas aos estados Imagem: Juranir Badaró/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

06/05/2021 15h35Atualizada em 06/05/2021 18h56

O governo federal liberou hoje a quantia de R$ 6,6 bilhões para a compra de doses da vacina contra o novo coronavírus produzida pela farmacêutica americana Pfizer. A liberação, com dispensa de licitação, foi publicada hoje no DOU (Diário Oficial da União).

O Ministério da Saúde já comprou 100 milhões de vacinas da Pfizer. No fim de abril, um primeiro lote, com 1 milhão de doses do imunizante, chegou ao Brasil para distribuição aos estados. Ontem, uma nova leva, esta de 628,2 mil, chegou em Campinas (SP).

As doses da Pfizer estão sendo, por ora, encaminhadas para as capitais estaduais por conta da necessidade de armazenamento do imunizante, que exige refrigeração em temperaturas baixíssimas.

No Centro de Refrigeração, as doses ficam armazenadas entre -90ºC e -60ºC. Ao serem distribuídas aos estados, as vacinas ficam a -20ºC. Nos locais de vacinação, em temperaturas entre 2ºC e 8ºC, a orientação é para que as doses sejam aplicadas em até cinco dias.

A vacina da Pfizer é aplicada em duas doses intervaladas. O Ministério da Saúde recomenda um intervalo de 12 semanas (3 meses) entre uma dose e outra, maior que o indicado pela própria farmacêutica, que fala em 21 dias (3 semanas).

Para justificar a decisão contrária ao indicado pela fabricante, o Ministério da Saúde se baseia na decisão tomada pelo Reino Unido, que, buscando vacinar o maior número de pessoas possíveis, vem utilizando as doses com um intervalo de 12 semanas.

Coronavírus