PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

DF define vacinação completa como obrigatória para entrada em jogos e shows

Não será permitida a apresentação de teste com resultado negativo para a covid-19 para entrar em eventos - Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF
Não será permitida a apresentação de teste com resultado negativo para a covid-19 para entrar em eventos Imagem: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Do UOL, em São Paulo

24/11/2021 10h46Atualizada em 24/11/2021 11h06

O governo do Distrito Federal definiu que apenas vacinados com dose única — caso do imunizante da Janssen — ou duas doses — caso dos demais imunizantes — da vacina contra a covid-19 poderão entrar em eventos esportivos, shows e festivais.

Apenas quem tiver comprovado ter recebido a dose única ou as duas doses contra a covid-19 há 15 dias poderá ingressar nestes eventos. A definição consta na edição de hoje do Diário Oficial do DF e é assinada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB).

Para entrar nos eventos, não será permitida a apresentação de um teste com resultado negativo para o novo coronavírus, nem a vacinação incompleta contra o vírus — exemplo: comprovação da aplicação de apenas uma dose quando o imunizante exige duas.

O decreto publicado hoje por Ibaneis também flexibiliza algumas restrições no DF. Com ele, caiu o limite de 50% de capacidade de público em cinemas, teatros, circos, competições esportivas, casas de festa, eventos, feiras, exposições, shows e festivais.

Cada estabelecimento ou organizador de evento poderá limitar — ou não — a capacidade do local seguindo entendimento próprio, desde que seja respeitada uma capacidade que ainda permita um distanciamento de um metro entre os presentes.

O uso de máscara em locais fechados, porém, segue obrigatório no DF — em ambientes abertos, a utilização do equipamento é opcional desde o início do mês.

O equivalente a 61,7% da população do DF já recebeu ou a dose a única da Janssen, ou as duas doses dos demais imunizantes, segundo dados atualizados ontem pelo consórcio de veículo de imprensa do qual o UOL faz parte.

Coronavírus