PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Anvisa inclui 4 países para recomendação de restrição após nova variante

Variante Omicron é considerada preocupante pela OMS - Variante Omicron é considerada preocupante pela OMS
Variante Omicron é considerada preocupante pela OMS Imagem: Variante Omicron é considerada preocupante pela OMS

Do UOL, em São Paulo

27/11/2021 23h18

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ampliou o número de países na lista de recomendações de restrição devido à descoberta da nova variante do coronavírus, descoberta na África do Sule batizada de ômicron. São eles: Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

De acordo com a Lei 13.979/2020, cabe à Anvisa emitir manifestação técnica sobre eventuais restrições para ingresso no território brasileiro, mas a adoção das recomendações depende de portaria interministerial.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou nesta sexta-feira (26) que a nova cepa do SARS-CoV-2, a ômicron, é uma variante de preocupação (VOCs), a quinta classificada dessa forma. Mas essa nova variante surpreendeu os cientistas pelo número oito vezes maior de mutações de outras cepas já classificadas como de preocupação, além da velocidade de contágio.

O órgão máximo da Saúde no mundo aponta que a variante foi detectada a taxas mais rápidas do que os surtos anteriores de infecção.

"Esta variante tem um grande número de mutações, algumas das quais preocupantes. As evidências preliminares sugerem um risco maior de reinfecção, em comparação com outras variantes", alertou a OMS. "Nas últimas semanas, as infecções na África do Sul aumentaram acentuadamente, coincidindo com a detecção da variante B.1.1.529. A primeira infecção B.1.1.529 confirmada conhecida foi de um espécime coletado em 9 de novembro de 2021."

Ontem, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, anunciou que o Brasil fechará, a partir de segunda-feira, as fronteiras aéreas para seis países da África por causa da nova variante do coronavírus. A decisão foi tomada em conjunto e será assinada pelos Ministérios da Saúde, Justiça e Segurança Pública, Casa Civil e Infraestrutura.

A restrição afetará os passageiros oriundos de África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Saúde