PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
4 meses

Zambelli pede que Saúde e Anvisa suspendam vacinação infantil

19.mai.2021 - A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), em audiência pública na Câmara - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
19.mai.2021 - A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), em audiência pública na Câmara Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Do UOL, em Brasília

18/01/2022 19h37

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) protocolou um texto para o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) com o pedido de que a vacinação infantil contra a covid-19 seja suspensa temporariamente no Brasil.

Segundo Zambelli, seria necessário investigar os casos de aplicação errada de imunizantes destinados a adultos em crianças, ocorrido no início da campanha vacinal em Lucena, na Paraíba.

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) da Paraíba confirmou que 49 crianças de 5 a 12 anos receberam a dose errada da vacina contra o coronavírus. Entre eles, 36 tomaram o imunizante que seria destinado para adultos com o prazo de validade vencido — outras 13 foram vacinadas com a dose para adulto, mas dentro do prazo de validade.

Uma auxiliar de enfermagem que aplicou em crianças doses feitas para adultos disse que recebeu ordens de vacinar todos. Segundo a profissional, ela foi orientada a imunizar todos que aparecessem, pois vacinas estavam perto do vencimento.

Zambelli, então, propôs que a vacinação infantil seja suspensa até o fim da investigação no município da Paraíba.

Além da pasta da Saúde e Anvisa, a deputada enviou cópias do ofício para o MPF (Ministério Público Federal), Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba e Secretaria de Saúde do Município de Lucena.

Campanha pelo Brasil

Em outros locais, como Rio de Janeiro e São Paulo, a vacinação infantil contra a covid-19 têm tido sucesso e boa adesão. Entretanto, a capital carioca abriu a imunização para crianças ontem e hoje já reportou falta de estoque.

O município atrasou o calendário e, até sábado, vacinará apenas meninos e meninas de 11 anos. A ideia inicial era incluir crianças de 10 anos no cronograma dessa semana.

Na contramão, São Paulo tenta não desperdiçar as doses e criou a xepa" da vacina também para crianças. Pais e responsáveis com filhos de 5 a 11 anos sem comorbidades já podem cadastrá-los na fila para vacinas remanescentes nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da capital paulista.

Saúde