PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Gabbardo: Se Saúde recusar CoronaVac, estará à disposição para governadores

Colaboração para o UOL

20/01/2022 18h46

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, João Gabbardo, afirmou hoje, em participação ao UOL News, que se o Ministério da Saúde não quiser fazer a aquisição da CoronaVac para distribuir aos estados, o governo de São Paulo vai colocar à disposição para governadores e secretários estaduais da Saúde.

"Fizemos várias ofertas ao Ministério da Saúde, que nunca demonstrou interesse na aquisição dessas vacinas. Se não tiver interesse, colocaremos à disposição dos governadores e secretários estaduais de Saúde", disse.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou hoje a liberação do uso da vacina contra a covid-19 CoronaVac em crianças e jovens de 6 a 17 anos. O pedido inicial do Instituto Butantan, fabricante do imunizante, era para aplicá-lo em crianças a partir dos 3 anos.

Até hoje, apenas a vacina da Pfizer estava liberada para crianças a partir de 5 anos, mas as doses vêm desembarcando no Brasil em remessas vindas do exterior em quantidade ainda insuficiente para imunizar todas as faixas de idade infantil.

Com a chegada da CoronaVac para imunizar as crianças e adolescentes contra o coronavírus, Gabbardo afirmou que em nove semanas todos com mais de 5 anos de idade poderão ter tomado a primeira dose da vacina no estado de São Paulo.

"Nós estávamos com o planejamento pronto, aguardando essa autorização. Nosso planejamento está previsto que em nove semanas todas as crianças a partir de cinco anos poderão estar com a primeira dose", disse.

E acrescentou: "Como a vacina do Butantan foi autorizada nesse primeiro momento para ser utilizada em crianças acima de seis anos, vamos utilizar a Pfizer para vacinar crianças de cinco anos e aquelas que são imunodeprimidas. As demais faixas etárias receberão a Coronavac."

Saúde