PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
3 meses

Vecina defende CoronaVac e diz que não é hora de 'sommelier de vacina'

Colaboração para o UOL

21/01/2022 08h49Atualizada em 21/01/2022 11h43

O médico sanitarista Gonzalo Vecina defendeu, em comentário ao UOL News hoje, a aplicação da CoronaVac em crianças, após aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e criticou o que chamou de "sommelier" da vacina. O órgão aprovou ontem a liberação do uso do imunizante contra a covid-19 em crianças e jovens de 6 a 17 anos.

"Acho que não está na hora de brincar de 'sommelier' de vacina. As duas vacinas [CoronaVac e Pfizer] foram significativamente analisadas pela Anvisa, foram aprovadas. As duas estão em uso no mundo todo. Não temos capacidade de comprar uma só, então temos que usar as duas marcas", explicou o fundador da Anvisa.

A CoronaVac, porém, não foi liberada para ser aplicada em crianças abaixo dos 6 anos e com baixa imunidade. Vecina defende a decisão. "Eu gostaria que tivesse aprovado a partir dos três anos, porém, a Anvisa está certa de querer mais dados. As crianças são organismos imaturos do ponto de vista imunológico", avaliou o médico.

Ontem, durante coletiva de imprensa sobre o início da vacinação com a CoronaVac após liberação pela Anvisa, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que compreendeu a decisão de não autorizar a aplicação para outros grupos.

"Existem mais dados disponíveis neste momento para crianças de 6 anos. Os dados de 6 a 17 são muito maiores do que 3 a 5 anos. De qualquer maneira, os dados foram apresentados e, brevemente, alguns estudos importantes, como no Chile, estarão disponíveis, mostrando a eficiência da vacina especificamente para esse grupo. Brevemente solicitaremos para essa faixa etária."

Calendário de vacinação

O Instituto Butantan —que produz a CoronaVac— informou que 4 milhões de doses já ficam no estado, ainda que o Ministério da Saúde não tenha decidido comprar o estoque. A distribuição deste primeiro lote começou ontem. De acordo com o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, todos os 645 municípios paulistas devem receber as doses até hoje.

O diretor do Butantan, Dimas Covas, afirmou que: mais 4 milhões de doses devem ser liberadas também para São Paulo na semana que vem, sete milhões ficam à disposição do Ministério da Saúde, que ainda não confirmou a intenção de comprar a CoronaVac para vacinar crianças e adolescentes.

"São Paulo começou hoje [20] imediatamente a vacinação e está preparado para vacinar 250 mil crianças a partir de amanhã [21] no sistema público de saúde", disse Doria, em entrevista na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, em Perdizes, na zona oeste da capital.

Saúde