PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Moderna vai pedir à Anvisa para usar vacina de covid em bebês de 6 meses

Entre os imunizantes contra covid-19 aprovados no Brasil, apenas dois são utilizados em crianças. O da Pfizer a partir de 5 anos de idade e a CoronaVac a partir de 6 anos - iStock
Entre os imunizantes contra covid-19 aprovados no Brasil, apenas dois são utilizados em crianças. O da Pfizer a partir de 5 anos de idade e a CoronaVac a partir de 6 anos Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

02/05/2022 13h04

A Zodiac, representante da farmacêutica Moderna no Brasil, vai pedir o registro definitivo na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) da vacina contra a covid-19. A intenção é conseguir autorização para aplicar o imunizante em pessoas a partir dos 6 meses de idade.

A representante informou ao UOL que ainda não há uma data definida para o pedido e que por enquanto o processo está na fase de montagem do dossiê exigido pela Anvisa. No entanto, a Zodiac diz que o pedido deve ser entregue ainda este semestre e afirma esperar que a vacina esteja disponível no Brasil até o final deste ano.

No início de abril, a Anvisa realizou uma reunião técnica com a Zodiac e a Moderna para tratar da regularização da vacina. Hoje em dia, a vacina da Moderna não tem nenhum tipo de autorização para uso no Brasil, mas é usada em adultos em 85 países e também tem autorização emergencial da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Entre os imunizantes contra covid-19 aprovados no Brasil, apenas dois são utilizados em crianças. O da Pfizer a partir de 5 anos de idade e a CoronaVac a partir de 6 anos. O Instituto Butantan, responsável pelo desenvolvimento da CoronaVac no Brasil, tenta conseguir a aprovação para uso da vacina em crianças a partir de 3 anos.

A Moderna está testando o uso no população infantil. Segundo a empresa, os resultados da segunda fase do estudo, anunciados em 23 de março, "mostraram uma resposta robusta de anticorpos neutralizantes na faixa etária de 6 meses a menos de 6 anos, juntamente com um perfil de segurança favorável".

"Acreditamos que a mRNA-1273 será capaz de proteger com segurança essas crianças contra o SARS-CoV-2, e isso é muito importante em nossa luta contínua contra a covid-19, e será especialmente bem aceita pelos pais e cuidadores", disse Stéphane Bancel, presidente corporativo da Moderna.

Uma solicitação similar com a que está sendo preparada para o envio à Anvisa já foi feita junto ao FDA (Food and Drug Administration), a agência reguladora dos Estados Unidos. Lá, porém, o pedido é para uso emergencial.

Saúde