PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

'Brasil já tem elementos para quarta onda da covid-19', diz epidemiologista

Epidemiologista Ethel Maciel diz que cobertura vacinal desigual contribui para o espalhamento do coronavírus - iStock
Epidemiologista Ethel Maciel diz que cobertura vacinal desigual contribui para o espalhamento do coronavírus Imagem: iStock

Colaboração para o UOL

23/05/2022 10h37Atualizada em 23/05/2022 11h38

A epidemiologista Ethel Maciel afirmou na manhã de hoje que o Brasil corre sérios riscos de passar por mais uma nova onda de covid-19, assim como já acontece na Argentina. Em entrevista à rádio CBN, a especialista destacou que "o Brasil já tem todos os elementos para uma quarta onda de covid-19".

Os elementos apontados pela professora da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo) são uma cobertura vacinal desigual e também o fato de, pela primeira vez desde fevereiro deste ano, a Rt (taxa de transmissão) ter ficado acima de 1.

Cientistas consideram o número 1 como o teto da Rt. Com esse valor, cada pessoa infectada pode contaminar outra, mantendo a estabilidade de casos. A meta é baixar esse número porque, se ele ultrapassar esse patamar, cada doente poderá contaminar mais de uma pessoa.

"Estados que têm menos pessoas vacinadas contribuem para o espalhamento do vírus com mais casos graves e internações", explicou Maciel.

Ainda de acordo com a especialista, diante de uma real ameaça de uma nova onda de contágio, é necessário insistir no uso de máscaras. Muitos estados, entretanto, vão na contramão da orientação enquanto liberam o uso das máscaras inclusive em ambientes fechados.

"Fruto do relaxamento social e da falta de máscara"

Em entrevista ao UOL News no dia 20 de maio, o médico sanitarista Gonzalo Vecina já havia alertado para as consequências do fim da obrigatoriedade do uso de máscaras.

Vecina, entretanto, descartou a iminência de uma quarta onda por enquanto, atribuindo o aumento de casos às medidas de flexibilização adotadas pelos governos.

"Isso tudo é fruto do relaxamento social e da falta de máscara, e de levantar o decreto emergência sanitária foi um erro", afirmou Vecina, durante participação no UOL News - Manhã, programa do Canal UOL.

Ontem o Brasil completou nove dias seguidos com uma média diária de mortes pela covid-19 acima de 100 de acordo com o consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. O índice, calculado a partir dos dados dos últimos sete dias, ficou em 102.

Saúde