PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

CGU calcula prejuízo de R$ 37 mi por Saúde deixar testes de covid vencerem

Os testes de Covid-19 perdidos causaram mais de R$ 37 milhões de prejuízo ao Ministério da Saúde, segundo CGU - iStock
Os testes de Covid-19 perdidos causaram mais de R$ 37 milhões de prejuízo ao Ministério da Saúde, segundo CGU Imagem: iStock

Pedro Paulo Furlan

Do UOL, em São Paulo

30/06/2022 18h36Atualizada em 30/06/2022 18h59

Em relatório encaminhado ao TCU (Tribunal de Contas da União) e ao Ministério da Saúde em maio, e divulgado hoje, a CGU (Controladoria-Geral da União) revelou que mais de 1 milhão de testes de covid-19 foram perdidos, levando a prejuízo de R$ 37,3 milhões à União. Segundo a CGU, a pasta da Saúde deixou os testes vencerem.

Os testes de covid-19 foram entregues ao ministério com 157 dias antes da validade. A perda, no entanto, aconteceu porque a pasta doou os mesmos ao Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, da USP, com cerca de 10 dias antes do prazo.

Segundo a CGU, a própria doação à USP é também um problema, já que o ministério recebeu os testes para "distribuição a outros entes para a testagem da população com o fim de realizar o controle e o acompanhamento da pandemia".

O relatório afirma que o instituto da USP conseguiu utilizar os testes, mesmo vencidos, como instrumentos de pesquisa. Ainda assim, o vencimento e a, subsequente, perda "acarretou, quanto a esse item, um prejuízo da ordem de R$ 37,3 milhões".

Além disso, CGU acusa o Ministério da Saúde de não gerir adequadamente seus estoques - chamando os testes de Covid-19 de "insumo altamente demandado pela população".

"O Ministério da Saúde não geriu adequadamente os estoques estratégicos sob sua guarda, a exemplo de insumos relevantes e de alto custo para os cofres públicos, inclusive testes para covid-19, insumo altamente demandado pela população, o que impactou negativamente as ações de saúde e acarretou, quanto a esse item, um prejuízo da ordem de R$37,3 milhões", escreveram no relatório.

O UOL procurou o Ministério da Saúde, que afirmou que avalia com atenção todos os apontamentos realizados pela CGU. "Se constatado inconformidades, estas serão avaliadas e corrigidas. Todas as informações solicitadas serão repassadas ao órgão de controle".

Saúde