Topo

Número de mortes provocadas por ebola sobe para 932, diz OMS

Tom Miles

Em Genebra

06/08/2014 10h13

O número de mortes devido ao surto de ebola na África Ocidental subiu para 932, depois que 45 pacientes morreram em consequência do vírus entre 2 e 4 de agosto, informou nesta quarta-feira (6) a OMS (Organização Mundial da Saúde) em comunicado.

Com 108 novos casos suspeitos, prováveis ou confirmados no mesmo período, o número total chega a 1.711. Das mortes recentemente notificadas, 27 foram na Libéria, que teve 516 casos e 282 mortes pela doença desde que o surto começou, em fevereiro.

Mais sobre o ebola

A Guiné, onde foi identificado o primeiro foco, teve 10 novos casos e 5 mortes, enquanto em Serra Leoa, 45 novos casos aumentaram o número total para 691, com 13 mortes recentemente notificadas, elevando o número de mortos no país para 286.

Na Nigéria, o quarto país a ser afetado, o número de casos suspeitos subiu de 4 para 9. Os dados da OMS incluem uma morte no país, de um homem que passou mal ao chegar de avião, em um voo que saiu da Libéria, via Gana e Togo.

Uma enfermeira que tratou dele também morreu, segundo o ministro da Saúde da Nigéria.

Os números da OMS não fazem menção à Arábia Saudita, onde um homem morreu nesta quarta-feira (6) depois de voltar de uma viagem de negócios em Serra Leoa.

A OMS reúne um Comitê de Emergência na quarta e na quinta-feira para decidir se o surto constitui uma emergência de saúde pública de alcance internacional e, em caso afirmativo, o que fazer a respeito.

A diretora-geral da organização, Margaret Chan, informou os representantes nacionais na terça-feira (5), segundo um comunicado da OMS, e esboçou uma ação tripla: intensificação das medidas nos quatro países afetados, medidas para reduzir a propagação internacional e o tratamento de uma área da África Ocidental como um "setor unificado".

Essa área - na fronteira de Serra Leoa, Guiné e Libéria - estaria sujeita a "medidas de saúde pública destinadas a reduzir o movimento dentro e fora da área", disse o comunicado.

Mais Notícias