PUBLICIDADE
Topo

Vídeo mostra comandante fugindo de balsa sul-coreana durante naufrágio

Em Seul

28/04/2014 11h36Atualizada em 28/04/2014 14h47

A guarda costeira sul-coreana divulgou nesta segunda-feira (28) um vídeo que mostra o capitão da balsa que naufragou em 16 de abril, sem calças, fugindo enquanto centenas de pessoas permaneciam no interior da embarcação - uma atitude que deve aumentar ainda mais as críticas à tripulação.

O vídeo de 10 minutos - feito por autoridades de resgate e exibido na rede de televisão YTN - mostra o capitão Lee Joon-seok, de 69 anos, vestindo apenas um suéter e roupa íntima e fugindo apressadamente da balsa antes do naufrágio.

Todos os 15 tripulantes do navio responsáveis pela saída dos passageiros estão detidos e enfrentam acusações como negligência e abandono de passageiros.

As famílias das vítimas criticaram duramente a resposta oficial ao desastre, afirmando que os atrasos no acesso ao navio submerso podem ter acabado com as chances de encontrar sobreviventes com vida.

O vídeo provocou comentários ácidos na internet.


"Olhem para o capitão fugindo do navio sem as calças. Que patético. Não posso acreditar que ele não pensou em todas as crianças presas lá enquanto ele corria para salvar a própria vida", declarou um usuário.

Promotores realizaram nesta segunda-feira uma série de incursões, incluindo em um escritório da Guarda Costeira, como parte de sua investigação sobre o desastre, que deixou 300 mortos ou desaparecidos.

Mergulhadores que realizam buscas entre os destroços da balsa Sewol, que naufragou com 476 pessoas a bordo, estavam frustrados nesta segunda-feira devido às condições meteorológicas adversas que dificultavam suas buscas.

Apesar das mais de 60 horas de operações desde sexta-feira dos mergulhadores, que tentam entrar no interior alagado da embarcação, apenas mais dois corpos foram recuperados e 113 ainda estão desaparecidos.

O número de mortos em um dos maiores desastres marítimos da história da Coreia do Sul era de 189 nesta segunda-feira. A maioria dos desaparecidos e mortos era composta de adolescentes.

 

Notícias