Decisão judicial acaba com segregação racial em escolas de Cleveland, nos EUA

Em Washington

  • Rogelio V. Solis/AP

Um tribunal federal ordenou às autoridades escolares da cidade de Cleveland, no Estado do Mississippi, a fusão de suas escolas secundárias para acabar com a segregação de fato ainda vigente, informaram vários funcionários nesta segunda-feira.

A decisão encerra uma batalha judicial de 50 anos em Cleveland, onde muitos estudantes negros e brancos estudam em escolas diferentes.

Em sua decisão, o tribunal constata as décadas de atraso que as autoridades escolares da cidade devem enfrentar para acabar com a segregação no ensino médio.

"Este fracasso, que se explica por decisões tomadas de boa e má fé, ou uma mistura das duas, colocou Cleveland em uma posição nada invejável de receber uma ordem para eliminar a segregação", destaca o tribunal.

Após considerar inconstitucionais dois projetos alternativos apresentados pela cidade, a juíza Debra Brown acolheu finalmente o programa apresentado pelo governo federal, que determina a fusão dos colégios públicos de Cleveland e o consequente fim da segregação.

Em uma decisão histórica de 17 de maio de 1954 e conhecida como "Brown v. Board of Education" (Brown contra Conselho de Educação), a Suprema Corte dos Estados Unidos declarou a segregação racial inconstitucional nas escolas públicas.

"Seis décadas depois, a decisão (de Cleveland) vem para recordar aos distritos que retardar a obrigação de suprimir a segregação é inaceitável e inconstitucional", comentou Vanita Gupta, responsável de direitos cívicos no departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos