Turquia propõe aos EUA uma operação conjunta na Síria sem os curdos

Antalya, Turquia, 30 Mai 2016 (AFP) - A Turquia propôs ao governo dos Estados Unidos uma operação conjunta contra os jihadistas na Síria, sem a presença de uma milícia curda apoiada por Washington mas denunciada como "terrorista" por Ancara, anunciou o chefe da diplomacia turca.

"Conversamos com os americanos sobre o fechamento da frente de Manjib o mais rápido possível (...) e a abertura de uma segunda frente", afirmou Mevlüt Cavusoglu, em referência a uma zona sob controle do grupo extremista Estado Islâmico (EI) na província de Aleppo (norte da Síria).

"Se unirmos nossas forças, eles (os americanos) têm suas próprias forças especiais e nós temos nossas forças especiais", declarou no sábado Cavusoglu a um grupo de jornalistas em Antalya (sul da Turquia).

"Devemos abrir uma segunda frente, mas sem o YPG", completou, em referência ao braço político das Unidades de Proteção Popular (YPG), uma milícia curda.

Washington considera que as milícias curdas são alguns dos grupos armados mais eficazes para combater o EI em território sírio. Para Ancara, no entanto, as YPG estão vinculadas ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), uma organização considerada "terrorista" pela Turquia, que desde 1984 protagoniza uma violenta rebelião.

Na semana passada, tropas especiais americanas foram fotografadas por jornalistas da AFP na região norte da Síria com emblemas das YPG, o que provocou a indignação das autoridades turcas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos