Cameron para líder trabalhista: 'Pelo amor de Deus, homem, vá embora!'

Em Londres

  • AFP/PRU

    O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, em sessão no Parlamento, em Londres

    O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, em sessão no Parlamento, em Londres

O primeiro-ministro britânico David Cameron pediu nesta quarta-feira (29) ao líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, que renuncie ao cargo, unindo-se à revolta trabalhista, em um gesto e tom de voz pouco comuns.

"Deveria ser do interesse de meu partido que ele ficasse, mas não é do interesse nacional, por isso devo dizer: pelo amor de Deus, homem, vá embora!", afirmou Cameron a Corbyn, em tom irritado, durante a sessão parlamentar de perguntas ao primeiro-ministro.

Na véspera, o líder opositor afirmou que não renunciará ao cargo, apesar de ter perdido uma moção de censura por 172 votos contra e 40 a favor por causa do resultado do referendo do Brexit.

A moção não obriga Corbyn, de 69 anos, a abandonar o cargo, já que deve ser ratificada pelos afiliados do partido.

Mas coloca em uma situação muito difícil o experiente político socialista, acusado de falta de liderança durante a campanha do referendo.

"Fui eleito democraticamente líder do nosso partido para uma nova forma de fazer política, por 60% dos membros trabalhistas e seus partidários, e não vou traí-los mediante uma renúncia. A votação dos deputados não tem qualquer legitimidade", afirmou Corbyn em um comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos