Veja quem pode suceder o premiê britânico David Cameron

Londres, 30 Jun 2016 (AFP) - A corrida à sucessão do chefe do partido conservador e primeiro-ministro David Cameron, que renunciou após o Brexit, deu largada oficialmente nesta quinta-feira.

Cinco candidatos se apresentaram, mas não o mais esperado, Boris Johnson, o líder da campanha pelo Brexit, que, para surpresa de todos, anunciou no final da manhã desta quinta-feira que não disputará a nomeação.

Esse anúncio foi feito duas horas depois de saber que seu aliado pró-Brexit e ministro da Justiça Michael Gove o "apunhalou" pelas costas ao se apresentar à disputa, não sem antes declarar que Boris não poderia assumir a liderança do país.

Theresa MayTheresa May, ministra do Interior, se manteve distante da guerra que abalou o partido conservador durante a campanha do referendo, e aparece como uma candidate a de consenso na sucessão a David Cameron.

Eurocética declarada, Theresa May, de 59 anos, declarou, no início do ano, contra todas as probabilidades, que iria se manter fiel ao primeiro-ministro e defenderia a permanência do país na União Europeia.

Mas ela fez o mínimo, chegando até mesmo a defender uma limitação da imigração, tema favorito dos pró-Brexit.

Michael GoveAliado de Boris Johnson na campanha do referendo, o ministro da Justiça surpreendeu a todos ao anunciar sua candidatura nesta quinta-feira de manhã.

Intelectual e ambicioso, Gove, de 48 anos, foi o principal arquiteto da vitória do Brexit, depois de romper com seu amigo David Cameron que ele agora aspira a substituir como chefe de executivo britânico.

Ele justificou esta escolha "difícil", alegando que o Reino Unido seria "mais livre, mais justo e mais forte fora da UE."

Stephen CrabbO ministro do Trabalho foi o primeiro a oficializar sua candidatura. Favorável à permanência na UE, Crabb indicou que não há a possibilidade de voltar atrás e que "não haverá um segundo referendo".

Em um partido acusado de elitismo, o ministro de 43 anos, originário do País de Gales e criado por uma mãe solteira, pode tirar proveito de seu passado modesto.

Liam FoxCampeão dos valores tradicionais dentro do partido conservador e eurocético notório, o ex-ministro da Defesa de 54 anos foi forçado a renunciar em 2011, após um escândalo sobre diversos conflitos de interesse.

O ex-médico, que já disputou a presidência dos Tories em 2005 contra David Cameron, é um estranho para o grande público, mas pode contar com o apoio nas fileiras de militantes.

Andrea LeadsomA secretária de Estado de Energia, de 53 anos, anunciou sua candidatura no Twitter apelando a "tirar o melhor do Brexit". A candidata, que trabalhou nas finanças, chamou os conservadores a celebrar a "independência" do Reino Unido após o anúncio dos resultados do referendo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos