Trump chega ao México para polêmica reunião com Peña Nieto

México, 31 Ago 2016 (AFP) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou ao México nesta quarta-feira (31) para se reunir com o presidente Enrique Peña Nieto, um encontro duramente criticado pelos mexicanos que desaprovam o discurso xenófobo do magnata nova-iorquino.

Trump desembarcou às 13h09 locais (15h09, horário de Brasília), no hangar presidencial do Aeroporto Internacional da Cidade do México, informou à AFP o porta-voz do terminal aéreo, Santiago Arguero.

Após a aterrissagem, um fotógrafo da AFP observou a decolagem de um helicóptero da Presidência, no qual o magnata teria sido levado para a residência presidencial de Los Pinos. Lá, vai-se reunir com Peña Nieto.

Com esse surpreendente encontro, Trump busca reverter sua desvantagem nas pesquisas de intenção de voto em relação à sua oponente democrata, Hillary Clinton. O candidato tentará mostrar ao eleitorado americano que não é xenófobo, apesar de suas destemperadas declarações contra os imigrantes.

Hillary voltou à carga nesta quarta, durante um discurso em Ohio, reiterando que seu adversário não tem a experiência, nem a personalidade necessárias para assumir o controle da Casa Branca.

"É necessário mais do que tentar apagar um ano de insultos e insinuações com uma visita de não sei quantas horas aos nossos vizinhos antes de voltar para a casa", afirmou.

No início de sua campanha, Trump causou um escândalo regional, ao afirmar que os imigrantes mexicanos são estupradores e traficantes de drogas e que tiram o trabalho de americanos, além de defender a construção de um grande muro ao longo dos mais de 3.000 km de fronteira binacional.

Embora ele tenha amenizado sua postura recentemente, postulando uma política "justa e humana", os mexicanos não esqueceram a dureza de sua retórica. Na Cidade do México, Donald Trump é esperado com manifestações de repúdio.

A visita de Trump ao México acontece no mesmo dia em que ele fará um comício no Arizona, estado na fronteira com o México, e no qual deve falar de sua posição sobre os imigrantes em situação ilegal.

Os Estados Unidos são o principal sócio comercial do México. Estima-se que vivam hoje nos EUA cerca de 11 milhões de pessoas em condição clandestina, a maioria mexicana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos