EUA 'preocupado' com adiamento de referendo na Venezuela

Washington, 23 Set 2016 (AFP) - Washington manifestou sua "preocupação" nesta quinta-feira com o anúncio do poder eleitoral da Venezuela de realizar o referendo revogatório do mandato do presidente Nicolás Maduro apenas em 2017, e defendeu um "diálogo sério" entre governo e oposição.

"Os Estados Unidos estão preocupados com o anúncio de ontem (quarta-feira) do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela de que o processo do referendo revogatório não se completará até 2017", revelou o porta-voz do departamento de Estado John Kirby.

"Esta decisão, as contínuas restrições aos meios de comunicação e outras ações que debilitam a autoridade da Assembleia Nacional privam os cidadãos venezuelanos da oportunidade de desenhar o futuro de seu país".

Kirby exortou o "Executivo da Venezuela a se comprometer com um diálogo sério tanto com a oposição como com os venezuelanos de todo o espectro político".

O organismo eleitoral da Venezuela descartou na quarta-feira que o referendo revogatório do mandato de Maduro possa ser realizado ainda este ano, forçando a oposição a rever sua estratégia de pressão para remover o governo chavista.

A opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) queria que o referendo fosse realizado antes de 10 de janeiro de 2017, situação na qual haveria novas eleições em caso de derrota de Maduro. Depois desse prazo, mesmo com a vitória da oposição, o mandato será concluído pelo vice-presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos