Haitianos afetados por furacão vivem em condições 'desumanas' (ONU)

Porto Príncipe, 25 Out 2016 (AFP) - Os haitianos afetados pelo poderoso furacão Matthew vivem em condições "desumanas" em abrigos temporários, três semanas depois da passagem da tempestade, lamentou na terça-feira um especialista independente da ONU para os direitos humanos.

Cerca de 3.000 vítimas do furacão, refugiadas no colégio de Nord Alexis, na cidade de Jeremie, vivem "em condições lamentáveis: sem alimentos, sem acesso a serviços de saúde, sem água potável, sem instalações higiênicas e sanitárias apropriadas", disse o especialista Gustavo Gallon em uma coletiva de imprensa em Porto Príncipe, após visitar este abrigo.

Gallon fez as declarações ao concluir, nesta terça-feira, uma visita de nove dias ao país.

O furacão Matthew arrasou a península sul do Haiti em 4 de outubro, deixando 546 mortos e mais de 175.000 pessoas desabrigadas, segundo o último boletim oficial.

No Nord Alexis, "estas pessoas estão amontoadas em 20 salas do colégio, e têm fome. Há dois bebês que nasceram neste lugar sem assistência ao parto e há cerca de 20 grávidas", afirmou Gallon, um jurista colombiano.

"Todas as pessoas estão afetadas psicologicamente devido ao que aconteceu. (...) Uma jovem me disse: 'todos nos tornamos dontes mentais'. As condições nas que estão essas pessoas são desumanas e deveriam ser resolvidas imediatamente", afirmou Gallon.

Segundo a Proteção Civil do Haiti, o furacão destruiu mais de 770 escolas, e as que ficaram intactas foram ocupadas por milhares de famílias afetadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos