Premier de Montenegro renuncia a permanecer à frente do governo

Podgorica, Montenegro, 26 Out 2016 (AFP) - O primeiro-ministro de Montenegro, Milo Djukanovic, renunciou de maneira surpreendente a dirigir um novo governo, que deve ser formado após as eleições legislativas de 16 de outubro.

A presidência do Partido Democrático dos Socialistas (DPS), que Djukanovic dirige há vários anos, propôs para o cargo de primeiro-ministro um de seus aliados mais próximos, Dusko Markovic.

Dujakanovic governava Montenegro, seja como primeiro-ministro ou na presidência, há 25 anos.

Aos 54 anos, ele já abriu mão de suas funções duas vezes depois de liderar seu partido nas eleições, em 2006 - após o referendo de independência desta ex-república iugoslava de 640.000 habitantes e nas eleições posteriores - e em 2010.

Markovic, 58 anos, diretor do serviço secretos entre 2005 e 2010, e atual vice-primeiro-ministro, terá a missão de formar um novo governo.

O DPS venceu as eleições de 16 de outubro com 36 cadeiras em um Parlamento de 81, sem obter portanto a maioria absoluta.

Djukanovic, que dirige Montenegro desde 1991, liderou o país à independência em 2006. Seis anos depois iniciou as negociações de adesão à União Europeia (UE).

Mas sua proposta de aderir à Otan foi muito criticada pela oposição pró-Rússia, que exige um referendo sobre o tema.

Com 640.000 habitantes, Montenegro é um país de maioria cristã ortodoxa.

A adesão de Montenegro levaria a Organização do Tratado do Atlântico Norte a controlar toda costa dos Bálcãs. A Sérvia, aliado tradicional da Rússia, ficaria cercada de membros da Otan, com exceção da Macedônia.

str-mat/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos