EUA: manifestantes reivindicam salário mínimo de US$ 15 a hora

Nova York, 29 Nov 2016 (AFP) - Os funcionários de redes de fast-food, de aeroportos e de outros serviços protestaram nesta terça-feira em várias cidades dos Estados Unidos por um salário mínimo de 15 dólares a hora.

Cerca de 500 pessoas se somaram à manifestação organizada pelo movimento "Briga por 15" diante de uma loja do McDonald's, perto de Wall Street.

Os manifestantes bloquearam a Broadway antes de a polícia deter cerca de vinte pessoas. São esperados protestos parecidos em Chicago, Los Angeles e Fort Lauderdale, no estado da Flórida.

Em Los Angeles, os manifestantes marcharam pacificamente em um terminal e o tráfego aéreo não foi afetado.

No centro de Los Angeles cerca de 40 pessoas foram detidas após bloquear uma rua próxima a uma loja do McDonalds.

A campanha "Briga por 15" começou em novembro de 2012 quando os funcionários das redes de fast-food foram às ruas pedir que duplicassem o salário mínimo. A reivindicação logo se estendeu a outros setores.

O salário mínimo federal é de 7,25 dólares a hora em vários estados, entre eles Califórnia e Seattle. Outros, como Arizona e Maine, fixaram por lei um salário mínimo de 12 dólares a hora.

cat-jmb/ec/gm/nk/cc/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos