Egito aceita adiamento proposto por Trump de votação na ONU sobre colônias de Israel

Cairo, 23 dez 2016 (AFP) - O Egito aceitou o adiamento de um projeto de resolução da ONU que pede a Israel o fim da colonização, após uma ligação do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ao chefe de Estado Abdel Fatah al-Sisi, anunciou a presidência egípcia.

Na ligação telefônica, "os dois concordaram sobre a importância de dar à nova administração americana (liderada por Trump a partir de janeiro) uma oportunidade para abordar todos os aspectos da causa palestina com o objetivo de alcançar um acordo completo", afirma um comunicado.

Na quinta-feira, o Conselho de Segurança decidiu adiar a votação do texto depois que o Cairo, que promovia a resolução, pediu mais tempo para fazer consultas.

A proposta de resolução pedia a Israel a "detenção imediata e completa de qualquer atividade de colonização em território palestino ocupado, incluindo Jerusalém Oriental".

Trump, que durante a campanha eleitoral prometeu reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, havia solicitado na quinta-feira ao presidente Barack Obama que utilizasse o poder de veto ao projeto de resolução. Ele afirmou que o governo israelense ficava "em uma péssima posição de negociação".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos