Ex-diretor do FMI condenado à prisão por improbidade

Madri, 23 Fev 2017 (AFP) - A justiça espanhola condenou nesta quinta-feira a quatro anos e meio de prisão Rodrigo Rato, ex-diretor do FMI e ex-ministro da Economia espanhol por improbidade administrativa em sua fase como banqueiro, de 2010 a 2012.

No caso conhecido na Espanha como "Tarjetas Black", Rato e outras 64 pessoas foram acusadas de desviar das entidades Caja Madrid e Bankia 12 milhões de euros entre 2003 e 2012, mediante o uso de cartões de banco aos quais tinham acesso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos