Coreia do Sul sugere suspensão da Coreia do Norte na ONU

Genebra, 28 Fev 2017 (AFP) - A Coreia do Sul sugeriu na terça-feira uma suspensão dos "direitos e privilégios" da Coreia do Norte na ONU e sua exclusão da Conferência sobre o Desarmamento, após o assassinato do meio-irmão do líder norte-coreano na Malásia.

Durante a Conferência sobre o Desarmamento, órgão da ONU em Genebra, o ministro sul-coreano das Relações Exteriores, Yun Byung-se, exigiu "medidas coletivas" contra a Coreia do Norte.

Este pedido chega depois do procurador-geral da Malásia anunciar que duas mulheres serão acusadas pelo assassinato em Kuala Lumpur de Kim Jong-nam, que morreu devido a um agente neurotóxico.

O meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-un foi assassinado em 13 de fevereiro no aeroporto internacional de Kuala Lumpur. Segundo Seul, o crime foi planejado por Pyongyang.

"No dia seguinte deste ato de ódio na Malásia, temos que analisar as medidas para as próximas semanas e meses", declarou Yun Byung-se, acrescentando que "chegou o momento, para todos nós, de examinar seriamente a necessidade de tomar medidas extraordinárias", inclusive na ONU.

"Isto poderia ser na forma de suspensão dos direitos e privilégios como membro da ONU, como prevê a resolução 2321 do Conselho de Segurança", afirmou o ministro.

"Se o governo da Malásia concluir que as autoridades da Coreia do Norte estão por trás deste ato criminoso, é importante que a Conferência sobre o Desarmamento questione a qualidade de membro da Coreia do Norte", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos