Hosni Mubarak e a decadência de um déspota

Cairo, 24 Mar 2017 (AFP) - Hosni Mubarak, que deixou nesta sexta-feira o hospital militar no qual passou boa parte de seus seis anos de detenção, governou o Egito com mão de ferro por quase três décadas.

Outrora bajulado no exterior e temido em seu país, Mubarak, de 85 anos, estava atrás das grades desde abril de 2011, acusado de corrupção e da morte de manifestantes na revolta que o havia derrubado dois meses antes. Segundo dados oficiais, pelo menos 850 pessoas morreram nesses eventos.

Desde então, seu estado de saúde suscitou todo tipo de boato e informações contraditórias, com supostos diagnósticos de depressão aguda, câncer, infarto, ou problemas respiratórios.

O ex-chefe de Estado, que chegou a ser declarado "clinicamente morto" em 2012 pela agência oficial de notícias Mena, deixou nesta sexta-feira o hospital militar onde passou a maior parte dos seis anos de detenção, depois que a justiça retirou as acusações por cumplicidade na morte de manifestantes e o absolveu definitivamente em 2 de março.

- Uma imagem desgastada - Em 1981, Mubarak sucedeu o presidente Anwar al-Sadat, assassinado por islamitas. Naquele momento, poucos se atreviam a apostar na permanência no poder desse homem sem grande carisma.

Mohamed Hosni Mubarak nasceu em 4 de maio de 1928, em meio a uma família da pequena burguesia rural do delta do Nilo. Avançou na hierarquia militar até chegar ao posto de comandante-em-chefe da Força Aérea e foi nomeado vice-presidente em abril de 1975.

Soube mostrar-se pragmático, mas sua imagem foi se desgastando com o tempo pela falta de contato com seu povo e por sua reputação de orgulho sem limites. Um temível aparato policial e um partido a seu serviço se tornaram as principais demonstrações de seu poder.

No Ocidente, manteve uma reputação de moderado, conseguindo preservar a aliança com os Estados Unidos e os acordos de paz firmados em 1979 com Israel - e que custaram a vida de Sadat. Com sua silhueta imponente, a cabeleira sempre escura (apesar da idade) e o olhar frequentemente escondido por óculos escuros, tornou-se uma figura familiar dos encontros internacionais.

Ele se opôs fervorosamente ao islamismo radical inspirado na rede Al-Qaeda, embora não tenha conseguido impedir o fortalecimento de um Islã tradicionalista defendido pelo influente movimento da Irmandade Muçulmana. Essa confraria foi a grande vencedora das eleições realizadas após sua queda - as primeiras livres no Egito.

Isso não foi suficiente, porém, para pacificar o país, e seu sucessor, Mohamed Mursi, acabou sendo deposto em julho, pelos militares apoiados por grandes protestos contrários a um governo que, segundo os opositores, beneficiava apenas a Irmandade.

No plano econômico, Mubarak foi um liberal cada vez mais convicto, e essa orientação lhe permitiu desenvolver setores, como as telecomunicações e a construção civil. Ao final de seu regime, quase 40% dos 80 milhões de egípcios continuavam vivendo, porém, com menos de US$ 2 por dia, de acordo com estatísticas internacionais.

A corrupção foi outro mal endêmico de seus anos no poder.

Durante sua longa carreira, Hosni Mubarak escapou de pelo menos seis tentativas de assassinato. O estado de emergência foi mantido ao longo de praticamente todo seu governo, sendo suspenso apenas em maio de 2012.

Hosni Mubarak é casado com Suzanne Thabet, que também exerceu grande influência em seu entorno. O casal teve dois filhos, Alaa e Gamal. Este último foi considerado, durante muito tempo, como provável sucessor de Mubarak. Eles também enfrentam problemas com a justiça.

Desde o início do processo judicial por seu envolvimento na repressão das manifestações em 2011, sempre assegurou ser inocente.

"Agora que minha vida se aproxima do final, Graças a Deus tenho a consciência tranquila", assegurou em agosto.

jaz-cr/tt/dm/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos