Austrália mobiliza exército após passagem do ciclone Debbie

Ayr, Austrália, 29 Mar 2017 (AFP) - Várias cidades permaneciam isoladas nesta quarta-feira na região norte da Austrália, após a passagem de um violento ciclone que deixou um rastro de destruição, ao mesmo tempo em que o governo mobilizou o exército para as operações de resgate.

O ciclone Debbie, que atingiu a categoria quatro (1 a 5) na terça-feira no estado de Queensland, tocou a terra entre Bowen e Airlie Beach com ventos de 270 km/h, destruindo os lugares mais turísticos da região.

Nesta quarta-feira, Debbie perdeu força e se transformou em depressão tropical, mas o departamento de Meteorologia adverte para o risco de fortes ventos, chuva intensa e inundações.

As estradas de acesso a Bowen, Airlie Beach e Proserpine estão bloqueadas por árvores que caíram durante a tempestade. Quase 50 mil casas estão sem energia elétrica na região.

Até o momento não há registro de mortes, mas um homem ficou gravemente ferido na terça-feira na queda de um muro.

Os serviços de emergência começaram a avaliar os danos. O exército, com o auxílio de helicópteros e aviões, mobilizou oficiais para ajudar na recuperação das infraestruturas e no fornecimento em caráter de emergência de comida, água e gasolina.

A primeira-ministra de Queensland, Annastacia Palaszczuk, que viajou até Bowen de helicóptero, disse que a retirada preventiva de dezenas de milhares de pessoas ajudou a salvar vidas.

"Os danos não são tão grandes aqui quanto temíamos inicialmente, mas muitas árvores estão no chão. Observamos telhados arrancados de suas casas", afirmou, antes de seguir para Prosperine.

Algumas das ilhas mais turísticas na região da Grande Barreira de Coral foram atingidas.

O Hotel Daydream Island Resort informou que sofreu danos graves, principalmente em seu cais e nos apartamentos.

"As condições foram extremas, com muita chuva e violentas rajadas de vento, que danificaram o hotel e seus arredores".

Imagens nas redes sociais revelavam um avião tombado, iates jogados em terra, postes elétricos derrubados e árvores sobre casas destruídas.

O prefeito de Whitsunday, Andrew Willcox, descreveu Bowen como uma "zona de guerra". "Esta magnífica cidade costeira está quase destruída, mas vamos reconstruí-la", disse ao Channel Nine.

Na cidade mineira de Collinsville, os telhados de várias casas foram arrancados, destacou a imprensa local.

"Estou destruída, emocional e fisicamente. Passei as piores 24 horas da minha vida", disse Julie, 53 anos, à Australian Broadcasting Corporation.

Debbie foi o ciclone mais violento no país desde a passagem do Yasi, em 2011, que destruiu casas ao norte de Queensland e provocou danos avaliados em 1 bilhão de dólares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos