Maduro perde a compostura e manda OEA 'al carajo'

Em Caracas

"¡La OEA, p'al carajo!" (A OEA, pro caralho!) - vociferou, nesta quinta-feira (27), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ao manifestar seu orgulho com a saída do país da Organização dos Estados Americanos, que chamou de "uma entidade intervencionista".

"Tenho orgulho de dizer (...) que tomei a decisão de retirar nossa pátria da OEA, de libertar nossa pátria do intervencionismo (...). Estamos livres da OEA e jamais voltaremos!" - afirmou Maduro, chamado de "ditador" pelo secretário-geral da organização, Luis Almagro.

Caracas anunciou na quarta-feira sua saída da OEA em função de o Conselho Permanente da instituição ter convocado uma reunião de chanceleres para avaliar a grave crise política que sacode o país.

"Não reconhecemos qualquer reunião, qualquer decisão da OEA (...). A OEA, pro caralho! Luis Almagro, pro caralho! Fora OEA da Venezuela! A Venezuela se respeita e vamos nos fazer respeitar" - afirmou Maduro diante de uma concentração de mulheres chavistas em torno do palácio presidencial de Miraflores.

"Um secretário-geral absolutamente humilhado, sem vergonha, que está a serviço da política imperial como nenhum outro secretário-geral em 70 anos de existência da OEA. Luis Almagro é uma vergonha para a América Latina".

Segundo Maduro, a OEA promove uma campanha para "intervir na Venezuela" sob a orientação de Washington.

"Digo ao imperialismo: Já basta. Não se metam mais com a Venezuela", sentenciou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos