PUBLICIDADE
Topo

Nível de arsênico em água subterrânea do Paquistão é 'alarmante'

23/08/2017 19h29

Miami, 23 Ago 2017 (AFP) - Os níveis de arsênico na água subterrânea no leste do Paquistão são "alarmantemente altos", e representam um perigo significativo para a saúde de dezenas de milhões de pessoas que bebem o líquido, disseram pesquisadores nesta quarta-feira.

O estudo publicado na Science Advances é o primeiro a fazer um amplo mapa do arsênico na água do subsolo no Paquistão, e a acompanhar estudos prévios mais curtos que mostraram altos níveis deste elemento em alguns locais.

Os pesquisadores usaram um modelo para projetar a probabilidade da crescente concentração de arsênico em todo o Paquistão, com amostras do subsolo que pegaram de cerca de 1.200 locais em todo o país.

Em áreas do leste de Punyab, onde está a cidade de Lahore, e ao redor de Hyderabad, grande parte da população esteve exposta à contaminação por arsênico.

Muitos locais da planície, que tem uma densa população ao longo do rio Indo e seus afluentes, mostraram níveis de concentração de arsênico na água subterrânea mais altos do que os recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de 10 micro-organismos por litro, disse o relatório.

"Principalmente no sul se encontram concentrações muito altas, cerca de 200 microgramas/litro", alertou o estudo.

Entre 50 e 60 milhões de pessoas utilizam para beber ou para regar a água do subsolo, que contém mais de 50 microgramas por litro, ou cinco vezes mais que o máximo recomendado pela OMS.

"Este é um número alarmantemente alto, o que demonstra a necessidade urgente de fazer testes em todos os poços de água potável na planície do Indo", disse o autor principal, Joel Podgorski, geofísico do Instituto Federal suíço de Ciência e Tecnologia Aquática (Eawag).

As pessoas que bebem regularmente água com altos níveis de concentração de arsênico enfrentam risco de contrair câncer de fígado, doenças cardíacas e de pele.