PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Membros de ONG cruzarão a nado o Estreito de Gibraltar em homenagem a migrantes

24/08/2017 10h09

Paris, 24 Ago 2017 (AFP) - Integrantes da Emmaüs, ONG de ajuda aos pobres, atravessarão a nado ou de caiaque o Estreito de Gibraltar para "homenagear dezenas de milhares de pessoas que morreram no Mediterrâneo", anunciou a organização com sede em Paris.

A iniciativa, parte da campanha batizada de "Artigo 13 (em referência ao artigo sobre a livre circulação da Declaração Universal dos Direitos Humanos), acontecerá no início de setembro, de acordo com as condições meteorológicas.

Oito pessoas nadarão e 36 utilizarão caiaques para a travessia de 14 quilômetros entre o Marrocos e o enclave britânico ao sul da Espanha.

Damien Carême, prefeita ecologista de uma localidade do norte da França que abriu em março de 2016 um acampamento para migrantes, participará na operação.

"A ideia é participar em uma ação pelos migrantes que morrem porque não deixamos que atravessem o Mediterrâneo de forma legal", disse à AFP Frédéric Amiel, um dos diretores da Emmaüs.

"Isto acontece há vários anos e eles vão continuar tentando cruzar (o Mediterrâneo) porque para eles é uma questão de sobrevivência", disse Amiel, que chamou de "letal" a gestão das fronteiras por parte das autoridades europeias.

Um barco acompanhará o grupo na travessia para garantir a segurança.

De acordo com a Organização Internacional de Migrações (OIM), mais de 111.000 migrantes chegaram a Europa pelo mar desde janeiro. Mais de 2.300 morreram na tentativa.

Internacional