Sete países pedem que Conselho de Segurança discuta violência em Myanmar

Nações Unidas, Estados Unidos, 23 Set 2017 (AFP) - França, Grã-Bretanha, Estados Unidos e outros quatro países solicitaram ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que se reúna na próxima semana para discutir a violência em Myanmar, segundo documento obtido pela AFP nesta sexta-feira.

Os sete países, incluindo Egito, Cazaquistão, Senegal e Suécia, querem que o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, informe ao Conselho sobre a ofensiva militar do governo de Myanmar contra os muçulmanos rohingyas.

A presidência etíope do Conselho informou que mantém consultas para fixar a reunião.

Ao menos 429 mil muçulmanos rohingyas fugiram para Blangladesh nas últimas semanas para escapar de uma campanha de repressão executada pelo Exército birmanês, que a ONU chama de "limpeza étnica".

A minoria rohingya é considerada uma das comunidades mais perseguidas do mundo. Antes da crise, cerca de um milhão viviam em Myanmar, país que lhes retirou a cidadania e onde são considerados estrangeiros desde 1982.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos