Presidente de Israel denuncia entrada de palestinos na Interpol

Jerusalém, 28 Set 2017 (AFP) - O presidente de Israel, Reuven Rivlin, denunciou nesta quarta-feira a decisão da Interpol de aprovar a entrada do "Estado da Palestina" como membro da organização, afirmando que a medida enfraquecerá a instituição.

"Esta decisão prejudicará a capacidade de luta da Interpol contra o terrorismo internacional", declarou o presidente durante conversa por telefone com dirigentes judeus americanos.

"Não se trata de uma decisão baseada em uma necessidade profissional. É uma decisão puramente política", declarou Reuven Rivlin aos membros da Conferência de Presidentes de Grandes Organizações Judaicas dos Estados Unidos.

"É muito triste que os palestinos tenham conseguido politizar mais uma instituição com sua campanha para minar os diálogos de paz e deslegitimar Israel", disse Rivlin.

A Autoridade Palestina, que luta pela criação de um Estado, promove uma estratégia de reconhecimento há anos das instituições internacionais. Israel se opõe sistematicamente a estas tentativas, por meio de uma intensa campanha diplomática.

A Interpol, baseada em Lyon (França), permite a troca de informações entre policiais de quase 200 países. A instituição também publica "notificações" para informar a seus membros de que um país emitiu ordem de detenção contra indivíduos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos