PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Raúl Castro faz homenagem póstuma a histórico dirigente Armando Hart

27/11/2017 19h01

Havana, 27 Nov 2017 (AFP) - O presidente cubano, Raúl Castro, realizou nesta segunda-feira a última guarda de honra aos restos mortais do dirigente histórico Armando Hart, falecido no domingo em Havana por insuficiência respiratória aos 87 anos.

Com seu uniforme de general do Exército, Castro esteve acompanhado pelo número dois do Partido Comunista (PCC, único), José Ramón Machado; pelo presidente do Parlamento, Esteban Lazo; e pelo primeiro vice-presidente do Governo, Miguel Díaz-Canel, segundo o telejornal local.

Hart, ideólogo próximo a Fidel Castro e um dos dirigentes históricos da Revolução Cubana, exerceu a função de ministro da Educação (1959-1965) e da Cultura (1976-1997). Dirigiu de forma bem-sucedida a campanha de alfabetização de 1961 e lhe são atribuídas as conquistas em matéria de Educação na ilha nos primeiros anos da revolução.

"Hart foi um verdadeiro fundador. Como ministro da Educação do primeiro gabinete revolucionário dirigiu a campanha de alfabetização e a admirável obra educacional e cultural que transformou nosso país naqueles anos iniciais", disse Díaz-Canel em despedida.

Acrescentou que o falecido dirigente "assumiu o comando do recém-criado Ministério da Cultura, de onde retificou erros e distorções, restaurou a comunicação com a vanguarda intelectual, impulsionou o ensino artístico e desenhou um sistema institucional que converteu o povo em protagonista dos processos culturais".

Hart foi membro do Comitê Central e do seleto Escritório Político do PCC.

Em 1997 foi nomeado diretor do Escritório do Programa Martiano, adscrito ao Conselho de Estado, e presidente da Sociedade Cultural José Martí, organismos encarregados do estudo e da divulgação da vida e obra do herói nacional de Cuba.

Seu corpo foi velado no Centro de Estudos Martianos em Havana e depois foi cremado por decisão familiar.

Internacional