República Tcheca escolhe presidente entre pró-russo e pró-europeu

Praga, 27 Jan 2018 (AFP) - O segundo turno das eleições presidenciais na República Tcheca prosseguem neste sábado com dois candidatos radicalmente opostos: o atual chefe de Estado pró-russo, Milos Zeman, e seu rival pró-europeu, Jiri Drahos,

A votação, que começou na sexta-feira, prossegue neste sábado. Os resultados serão divulgados durante a tarde, informou o ministério do Interior.

Zeman, de 73 anos, veterano da esquerda, também conhecido por suas opiniões pró-chinesas e antimuçulmanas, e que tem forte apoio no interior do país, obteve 38,56% dos votos no primeiro turno.

Drahos, de 68 anos, conseguiu 26,60%, graças aos eleitores de Praga e a outras grandes cidades. Inicialmente, era apontado como favorito após o primeiro turno, em razão do apoio recebido dos outros sete candidatos.

No primeiro turno, há duas semanas, a taxa de participação foi de 61,9%.

Quase metade dos eleitores votaram na sexta-feira, segundo a agência de notícias CTK, um índice superior ao registrado no primeiro dia de votação do primeiro turno, calculado em quase 40%.

A votação acontece em um contexto político complicado depois que o bilionário populista Andrej Babis, aliado de Zeman, não obteve a confiança do Parlamento como chefe de Governo, por uma acusação de fraude com subsídios europeus.

O futuro de Babis, que dirige um governo protocolar, depede da eleição presidencial. Zeman já se mostrou disposto a designá-lo pela segunda vez para formar um governo, inclusive antes do fim de seu mandato atual, em 8 de março.

Drahos se recusa a nomear um primeiro-ministro acusado pela justiça.

O presidente tcheco, com menos prerrogativas do que o chefe de Estado na França ou nos Estados Unidos, aponta o primeiro-ministro com base nos resultados das eleições legislativas e nomeia o governo.

O chefe de Estado ratifica as leis adotadas pelo Parlamento e também nomeia os membros da diretoria do banco central CNB, os juízes e os professores universitários.

A posição de chefe de Estado tem para os tchecos uma aura incontestável de autoridade, entre outras razões, porque o presidente trabalha no Castelo de Praga, imponente antiga residência dos reis da Boêmia, localizada em uma colina majestosa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos