Brasil avalia suspender ingresso de venezuelanos durante censo de migrantes

Em São Paulo

  • Nacho Doce/Reuters

    Venezuelanos cruzam a fronteira entre o Brasil e a Venezuela em Pacaraima, Roraima

    Venezuelanos cruzam a fronteira entre o Brasil e a Venezuela em Pacaraima, Roraima

Autoridades avaliam a viabilidade de se suspender temporariamente a entrada por terra de venezuelanos pela fronteira norte até que se realize um censo de cidadãos do país vizinho, que chegaram em massa ao estado de Roraima, fugindo da crise, informou à AFP uma fonte governamental.

A proposta foi proposta em uma reunião celebrada na noite desta terça-feira (30), em Brasília, com a participação de ministros e representantes das pastas de Defesa, Justiça, Saúde, Relações Exteriores, Casa Civil e representantes do Legislativo.

Mais de 40.000 venezuelanos vivem atualmente no estado fronteiriço de Roraima, muitos na capital, Boa Vista, de 330.000 habitantes, segundo cifras oficiais.

Devido ao aumento da migração, uma das possibilidades estudadas pelo governo brasileiro para enfrentar a situação é "suspender temporariamente o ingresso por via terrestre até que termine esse censo", disse a fonte do governo, que pediu para não ser identificada.

No entanto, a viabilidade de uma suspensão temporária de ingressos por terra de venezuelanos - que não têm restrições para entrar como turistas no país - poderia ser dificultada pelos acordos internacionais assinados pelo Brasil, avaliaram os ministros no encontro, segundo a fonte.

O senador Romero Jucá (MDB-RR), que representa o estado de Roraima e participou da reunião, expressou-se favorável à proposta nas redes sociais.

"Foi definido aqui que haverá um censo para determinar quantos e quem são estes venezuelanos em Roraima, defendemos que enquanto se faz esse censo haja uma paralisação do ingresso de venezuelanos exatamente para podermos ter a quantificação exata de quem já está no estado e qual é a capacidade do estado de absorver essas pessoas", disse Jucá.

"Tivemos o compromisso de ministros em providenciar ações emergenciais", afirmou o senador, ao ressaltar que se avaliou também a criação de um campo de triagem para alojar os venezuelanos que estão dormindo nas ruas.

Os participantes acordaram trabalhar, na medida do possível na distribuição de venezuelanos em outros estados do país para desafogar Roraima, cuja estrutura está saturada desde que a migração aumentou com força a partir de 2016.

Outra proposta que circulou na região e que será avaliada é a de impedir a saída dos venezuelanos que já entraram no Brasil pelo norte porque, segundo as informações das autoridades, alguns cidadãos estariam indo e vindo constantemente para levar dinheiro e comida, informou a fonte.

A Venezuela vive uma profunda crise política, econômica e social, aprofundada pela hiperinflação, a escassez de alimentos e remédios.

Chegar ao Brasil por terra se tornou nos últimos dois anos uma alternativa de migração importante para venezuelanos que carecem de recursos econômicos para pagar uma passagem aérea.

Em 2017, 17.865 venezolanos pediram refúgio no Brasil, a maioria em Roraima.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos