PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mais de 10 mil venezuelanos tentaram se regularizar no Brasil em dois meses

REUTERS/Bruno Kelly
Imagem: REUTERS/Bruno Kelly

São Paulo

22/05/2018 19h46

Um total de 10.079 venezuelanos tramitaram sua regularização de permanência no Brasil desde o começo de abril, segundo dados da Polícia Federal (PF), encarregada dos assuntos migratórios, publicados nesta terça-feira (22).

O número, acumulado em apenas sete semanas, equivale a um quinto de todos os pedidos realizados em três anos no Brasil.

De 2015 a março de 2018, 38.567 venezulanos se apresentaram para legalizar sua situação migratória Brasil, seja através da solicitação de refúgio ou pelo pedido de visto de residência, informou a PF.

Com os dados completos até essa segunda-feira, 29.202 venezuelanos solicitaram refúgio no Brasil, 9.466 pediram residência e 9.978 agendaram uma data para realizar algum desses trâmites.

A Venezuela está imersa em uma grave crise econômica, política e social.

Em eleições questionadas dentro e fora do país, o presidente Nicolás Maduro, herdeiro político de Hugo Chávez, se reelegeu neste domingo para um novo mandato de seis anos. O Brasil, como outras nações da região, não reconheceu o resultado por considerar que as eleições não cumpriram "os padrões internacionais de um processo democrático, livre, justo e transparente".

O Brasil, que não era destino predileto dos venezuelanos, começou a ver o fluxo aumentar em sua fronteira terrestre quando os preços das passagens aéreas dispararam no país, que tem uma inflação que pode fechar 2018 com 13.800%, segundo o FMI.

Pelos dados do Grupo de Lima, o Brasil ocupa a sétima posição em uma lista dos países que mais recebem migrantes venezuelanos.

Desde 2017, 111.581 venezuelanos entraram através de Pacaraima, cidade fronteiriça no norte do Brasil, enquanto 60.601 vieram por terra e ar, informou o coordenador geral de Polícia de Imigração, Alexandre Patury, em uma reunião do Comitê Federal de Assistência Emergencial, criado este ano para atender a situação.

Em nota oficial, o ministério da Casa Civil - que preside o recém-criado Comitê - informou que será instalado um posto de triagem na fronteira para que os venezuelanos regularizem sua situação ao entrar no Brasil, sejam vacinados e passem por atendimento médico caso seja necessário.

Internacional