PUBLICIDADE
Topo

Internacional

China assegura que não há indícios de 'ataque acústico' contra diplomata americano

24/05/2018 14h13

Pequim, 24 Mai 2018 (AFP) - As autoridades chinesas asseguraram nesta quinta-feira que não constataram "nenhuma evidência" que explicaria o trauma cerebral sofrido por um funcionário americano em Cantão (sul), um caso que lembra os "ataques acústicos" sofridos por diplomatas desse país em Cuba.

"A China realizou uma investigação completa e transmitiu seus resultados preliminares aos Estados Unidos", disse a repórteres o porta-voz do ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang.

"Não encontramos explicações ou indícios que possam levar à situação evocada pelos Estados Unidos", acrescentou.

A embaixada dos Estados Unidos na China emitiu na quarta-feira um alerta a seus cidadãos sobre qualquer "fenômeno auditivo ou sensitivo agudo ou incomum, acompanhado por ruídos anormais ou sons penetrantes".

Um funcionários americano na cidade de Cantão informou recentemente ter sofrido "ruídos e pressões sutis, vagos, mas anormais", o que levou a um diagnóstico de trauma cranoencefálico leve.

O incidente lembra os misteriosos "ataques" que afetaram, entre o final de 2016 e o início de 2017, mais de vinte diplomatas americanos em Havana.

rwm-lth/bar/pg/jz/age/mr

Internacional