PUBLICIDADE
Topo

Atirador da sinagoga nos EUA comparece em juízo numa cadeira de rodas

29/10/2018 17h20

Pittsburgh, Estados Unidos, 29 Out 2018 (AFP) - Robert Bowers, acusado de matar 11 pessoas em uma sinagoga em Pittsburgh, Pensilvânia, no pior ataque antissemita da história dos Estados Unidos, foi levado à corte pela primeira vez nesta segunda-feira em uma cadeira de rodas.

Com o rosto pálido e mal-humorado, Bowers, de 46 anos, fez poucos comentários durante a audiência de três minutos, além de responder "Sim" e "Sim, senhor" a questões processuais de um juiz federal.

Detido logo depois da chacina, Bowers enfrenta 29 acusações, entre elas homicídio de 11 pessoas, em sua maioria idosos.

A polícia contou que o atirador disse que odiava os judeus porque eles estavam "cometendo genocídio com seu povo".

Segundo vários veículos de comunicação, o homem gritou ao invadir a sinagoga: "Todos os judeus devem morrer".

Postagens de mídia social atribuídas a Bowers indicam que ele também é ferrenhamente anti-imigrantes e antimuçulmanos.