Topo

ONU ajuda centenas de imigrantes centro-americanos a voltar a seus países

2018-11-30T16:01:00

30/11/2018 16h01

Genebra, 30 Nov 2018 (AFP) - A ONU informou nesta sexta-feira (30) que ajudou centenas de imigrantes centro-americanos que viajaram até a fronteira com os Estados Unidos, com a intenção de entrar neste país, a retornar a seus países de origem.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) informou que 453 imigrantes, incluindo crianças desacompanhadas, que manifestaram o desejo de retornar aos seus países de origem foram ajudados.

Além disso, "outros 300 imigrantes centro-americanos manifestaram o seu desejo de voltar a partir de Tijuana", a cidade mexicana na fronteira com os Estados Unidos e onde a "OIM coordena meios de transporte para eles", declarou a repórteres em Genebra o porta-voz desta agência da ONU, Joel Millman.

Ele acrescentou que 84% dos que retornaram a seus países são homens, e a maioria é originária de Honduras (57%) e El Salvador (38%), além de 5% da Guatemala.

"Vinte e cinco crianças desacompanhadas voltaram para suas casas de avião", disse o porta-voz.

Uma caravana de milhares de imigrantes, principalmente hondurenhos, partiu rumo aos Estados Unidos em meados de outubro para escapar da violência e da pobreza.

Este primeiro grupo foi seguido por outras caravanas de imigrantes que percorreram milhares de quilômetros a pé, de caminhão ou ônibus.

O presidente americano Donald Trump, que ordenou a mobilização de milhares de soldados na fronteira com o México, ameaçou fechá-la completamente se a situação se complicasse.

Diante da rigidez dos Estados Unidos, muitos imigrantes decidiram dar meia volta.

A ajuda da OIM é financiada pelo Escritório para Populações, Refugiados e Migração do Departamento de Estado americano, com cerca de 1,2 milhão de dólares, apontou Millman.