PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Assassino em série canadense se declara culpado de oito homicídios

29/01/2019 19h28

Ottawa, 29 Jan 2019 (AFP) - Um jardineiro canadense se declarou culpado nesta terça-feira (29) do assassinato premeditado e da mutilação de oito homens vinculados com a comunidade gay de Toronto, muitos dos quais foram desmembrados e escondidos em jardineiras.

A inesperada declaração de Bruce McArthur, de 67 anos, evita um longo processo que deveria começar em 6 de fevereiro.

Agora, ele pode ser sentenciado à prisão perpétua. Está previsto que sua pena seja conhecida durante uma audiência em 4 de fevereiro, na qual familiares e amigos das vítimas terão a oportunidade de descrever como os homicídios afetaram suas vidas.

O caso impactou todo o Canadá, especialmente a comunidade gay, e disparou uma investigação maciça em Toronto, a maior cidade do país, em dezenas de propriedades onde McArthur tinha trabalhado.

"Bruce McArthur se declarou culpado", disse o detetive de homicídios David Dickinson aos jornalistas em frente aos tribunais. "É o desenlace adequado".

"Infelizmente, não podemos trazer de volta esses homens, mas espero que possamos começar a encerrar a questão com as famílias e as comunidades", acrescentou, descrevendo o "longo e traumático processo" para levar McArthur perante a Justiça.

McArthur foi detido em janeiro de 2018.

Partes dos corpos de sete pessoas tinham sido encontradas escondidas em jardineiras que McArthur armazenava na casa de um cliente em Toronto, e depois foram descobertos os restos de uma oitava vítima em um barranco atrás da propriedade.

As vítimas são um ex-amante de McArthur, dois imigrantes afegãos, dois refugiados do Sri Lanka e um do Irã, um cidadão turco e um trabalhador sexual sem-teto.

Internacional