Topo

Órgão da ONU denuncia 'manipulação' de ajuda humanitária no Iêmen

2019-06-17T17:20:00

17/06/2019 17h20

Nações Unidas, Estados Unidos, 17 Jun 2019 (AFP) - O diretor-geral do Programa Mundial de Alimentos (PMA), David Beasley, denunciou nesta segunda-feira (17) na ONU a "manipulação da ajuda humanitária no Iêmen e ameaçou suspender ao final da semana a ajuda destinada a populações que vivem em zonas controladas pelos huthis.

"Nossa ajuda alimentar está sendo manipulada e estamos enfrentando obstáculos para resolver o problema", disse Beasley ao Conselho de Segurança em uma reunião sobre o Iêmen.

O encarregado do PMA indicou, ainda, que a manipulação também ocorrem em áreas sob o controle do governo, mas neste caso a cooperação permitiu eliminar as dificuldades.

Devido à atitude dos huthis, "suspenderemos a ajuda alimentar no final da semana", disse Beasley.

"Tudo o que pedimos é poder fazer o trabalho que fazemos em qualquer parte do mundo", insistiu, ressaltando que "as crianças estão morrendo" devido à apropriação indevida da ajuda.

Beasley já tinha advertido os huthis no começo de maio que a ajuda em suas áreas poderia ser suspensa se não se pusesse um fim aos desvios, evidenciados em dezembro de 2018.

No passado, o PMA denunciou a "obstrução" e a "falta de cooperação" de alguns líderes huthis, com proibições de acesso, bloqueios de comboios humanitários e obstáculos para a seleção dos beneficiários.

O conflito no Iêmen deixou dezenas de milhares de mortos, entre eles muitos civis, e ao redor de 3,3 milhões de deslocados.

Segundo a ONU, 24 milhões de pessoas, mais de dois terços da população, precisam de ajuda humanitária.

prh/sdu/mls/yow/mvv

Mais Internacional