PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

EUA têm quase 300 mil mortes a mais do que o habitual desde a pandemia, diz estudo

EUA tem quase 300 mil mortes a mais do que o habitual desde a pandemia - Foto: Unsplash
EUA tem quase 300 mil mortes a mais do que o habitual desde a pandemia Imagem: Foto: Unsplash

20/10/2020 18h51

Washington, 20 Out 2020 (AFP) - Os Estados Unidos registraram cerca de 300.000 mortes a mais do que o habitual desde o fim de janeiro, com pelo menos dois terços dos óbitos atribuíveis à covid-19, indicou um estudo do governo divulgado hoje.

O informe dos Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) estima que ocorreram 299.028 "mortes em excesso" desde o fim de janeiro - quando a pandemia começou a ganhar força - até 3 de outubro de 2020, das quais 198.081 (66%) foram causadas pela covid-19.

Como referência, os CDC compararam as amostras semanais de 2020 com a média das mortes semanais de 2015 a 2019.

As mortes em excesso são definidas como o número de pessoas falecidas por todas as causas, excedendo o número de falecimentos previsto para um local e momento determinados.

O estudo advertiu que várias mortes podem ter sido classificadas de forma errada, quando na verdade eram atribuíveis à covid-19, enquanto outras podem ter ocorrido "devido a interrupções no acesso ou no uso do atendimento médico".

Segundo o informe, em 2020 aumentaram as mortes por doenças circulatórias (incluindo hipertensão, ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais), por Alzheimer, outros tipo de demência e doenças respiratórias.

Embora o número maior de mortes em excesso (94.646) tenha sido registrado entre pessoas com idades de 75 a 84 anos, o grupo que experimentou um aumento maior em termos relativos foi o de adultos entre os 25 e os 44 anos.

Sua taxa de mortalidade excessiva aumentou 26,5%, enquanto o excesso de mortes entre os menores de 25 anos diminuiu 2%.

Os latinos e os negros foram duramente afetados, com taxa de mortes em excesso de 53,6% e 32,9%, respectivamente. O excedente de mortes entre os asiáticos aumentou 36,6%.

Enquanto isso, os brancos registraram 11,9% a mais de falecimentos em comparação com as cifras médias de 2015-2019.

Até a terça-feira, o número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos era de mais de 220.000, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Coronavírus